• Hub Education

Você já percebeu o quanto evoluiu o mundo desde os anos 2000?

Atualizado: Mar 31

Quando paramos para pensar nos anos 2000, muitas vezes não nos damos conta que já se passaram quase vinte anos dessa época. Embora em nosso subconsciente tudo tenha ocorrido ontem, a realidade é que foram necessárias muitas evoluções ao longo dessas duas décadas para chegarmos ao nível de hoje. Mas, pensando bem, você se lembra de como era sua vida em 2000? Ou melhor, você se lembra do que ainda nem existia nessa época?


Pois bem, embora pareça que aconteceram a poucos segundos, diversas das características que visualizamos como sociedade hoje ocorreram, de fato, há poucos anos. O próprio entendimento que existe de sociedade é recente, visto que foi na última década que cresceram os movimentos de igualdade de gênero e raça. Muito do que se podia falar a uma década não é mais aceitável hoje, assim como atitudes antes tidas como normais passaram a ser condenáveis.


Da mesma forma, a tecnologia também evoluiu, trazendo muitas das ferramentas que hoje se mostram indispensáveis ao cotidiano de um cidadão. Redes sociais começaram a surgir no início do milênio, enquanto os smartphones só vieram no fim de 2007, com o lançamento do iPhone. A evolução ocorreu de forma muito rápida, de maneira que a própria sociedade demorou a entender seu funcionamento e características.


A Evolução Sociocultural

Antes de falar de toda a evolução tecnológica que aconteceu nesses quase vinte anos, é preciso primeiro entender o quanto a sociedade mudou nesse período. É óbvio que muito dessa atualização de conceitos se deu por conta da tecnologia, o que acaba criando uma relação de causa e efeito, onde um não poderia ter ocorrido sem o outro, ainda que ambos tenham seguido por caminhos diferentes.


O surgimento e, principalmente, a acessibilidades da internet fizeram com que informações fossem passadas de forma muito mais rápida, de maneira que a população como um todo se tornasse mais bem informada e atualizada. Assim, as pessoas puderam responder de forma mais eficaz aos acontecimentos do dia a dia, se posicionando quanto ao lado defendido e seus pensamentos.


Em paralelo a isso, houve um maior entendimento sobre o conceito de humanidade e, consequentemente, uma busca mais voraz por direitos iguais. As opiniões de todos passaram a ter valor igual, tornando qualquer pessoa porta-voz de uma causa. Dessa forma surgiram movimentos sociais — como os que pedem maior igualdade entre sexos e opções sexuais, raças e classes sociais —, políticos — que tendem à direita, à esquerda ou ao centro — e até culturais — passando desde o futebol até o carnaval e a música.


A maneira como se consome também mudou, englobando agora toda a tecnologia disponível à sociedade. Os VHSs deram lugar aos DVDs e, posteriormente, ao Blue Ray, todos extintos com o surgimento dos serviços de streaming. O delivery saiu do telefone e passou para o aplicativo, assim como as caronas deixaram de ser caronas, sendo agora fonte de renda.


A evolução acertou a população mundial em cheio, com um nocaute que não era previsto. Agora, nos encontramos no momento de ainda tentar entender o que ocorreu e como as coisas funcionam. Não há certezas, mas sim dúvidas, tanto sobre a praticidade de tais ferramentas quanto ao real efeito delas em longo prazo.


A Evolução Tecnológica

Agora sim chegando à parte mais interessante dessa história, foca-se na evolução tecnológica que ocorreu nas duas últimas décadas e, principalmente, o que ela mudou na forma como o ser humano vive nos dias de hoje. A grande maioria dos gadgets que utilizamos diariamente sequer existia nos anos 2000, assim como várias das principais empresas do mundo não haviam nem sonhado em surgir.


O Wikipedia, principal fonte de dados de pesquisas e informações, fui fundado em 2001, assim como o iPod, o produto que virou a chave da Apple e redefiniu por completo a indústria fonográfica mundial. Em 2002 o Friendster começou a febre das redes sociais, espaço esse que recebeu o LinkedIn — com foco mais profissional — e o MySpace — como um concorrente de fato — em 2003.


A plataforma de blogs mais utilizada no mundo hoje em dia, o Wordpress, também deu as caras em 2003, assim como o Skype, principal ferramenta de vídeo chamadas online. Em 2004, enfim, o mundo conheceu o que viria a ser um dos maiores conglomerados de mídia e comunicação de todos os tempos, quando o Facebook foi lançado, ainda apenas para alunos da Universidade de Harvard.


No ano seguinte, em 2005, foi a vez da indústria visual sofrer uma reviravolta com o surgimento do YouTube, a maior plataforma de vídeos já existente, seguida no próximo ano pelo microblog Twitter, que revolucionou a forma como as pessoas se comunicavam, utilizando-se de no máximo 140 caracteres para passar uma simples mensagem.


Em 2007 foi lançado o Tumblr, e dois anos depois surgiu o WhatsApp. Em 2010 a rede social Pinterest e o buscador Bing! apareceram, mas quem fez sucesso mesmo foi o Instagram, lançado no mesmo ano. Esses foram alguns dos principais lançamentos entre os anos de 2001 e 2010, faltando ainda nove anos para se chegar aos dias de hoje.


Ainda assim, se faz possível perceber que grande parte do aparato digital que nos acostumamos a utilizar em nossas vidas não era nem esboço no início do milênio. Como dito acima, a evolução tecnológica acertou em cheio a sociedade a partir dos anos 2000.


Uma nova Necessidade

Com tantos lançamentos, os hábitos de consumo mudaram e, mais do que isso, o comportamento das pessoas se alterou. Da mesma forma que se conectavam com os mais distante, se distanciavam dos mais próximos, assim como viram nascer uma geração que já não mais sabia viver sem um celular na mão, um fone de ouvido no bolso ou um smartwatch no pulso.


A necessidade de comunicação instantânea virou um vício, tão nocivo para a rotina de uma pessoa como qualquer outro. Não se sabe mais viver sem a tecnologia e seus efeitos, já existindo inclusive casos de dependência dos tais dispositivos. Além disso, ainda foram apresentados ao mundo os malefícios de tal grau de comunicação, com um aumento considerável nos casos de ansiedade e depressão entre os mais novos.


Entende-se, portanto, que os avanços da tecnologia foram muito maiores e mais rápidos do que o ser humano estava preparado, tendo este que se adaptar a eles sem ao certo compreender como. Dessa forma, ainda é natural verificar situações em que nem mesmo as gerações mais atuais conseguem utilizar, em seu total potencial, as ferramentas disponíveis no mercado.


Adequando os conceitos

Ao se analisar a quantidade de novos recursos que a humanidade possui hoje em dia, também é preciso entender a rapidez com que eles surgiram — e desaparecem da mesma forma. Muitas tecnologias inventadas ou lançadas nas últimas duas décadas já foram passadas para trás, muitas vezes sem nem mesmo chegar ao consumo em massa que se vê nos dias atuais.


Empresas ainda se ajustam para aplicar essa nova leva de informação em suas rotinas, assim como funcionários tentam evoluir para não se tornarem obsoletos. Há uma animação geral, mas que se mistura com um sentimento de medo, já que é possível ver ainda mais evolução vindo no futuro, porém sem se saber ao certo quais mudanças ela acarretará na vida da sociedade.


Enquanto isso, a população se adequa da forma que consegue, tentando tirar o máximo de proveito de todo o conhecimento disponível. Alguns apresentam maior adaptabilidade, enquanto outros sofrem para mudar suas rotinas de anos, o que acaba por aumentar ainda mais o conflito entre as gerações. Soma-se a isso a mudança sociocultural apresentada, e o resultado é um processo caótico organizado, em que tudo parece estar funcionando, ainda que em um piscar de olhos possa se instaurar o caos completo.


A revolução silenciosa

As mudanças vistas desde os anos 2000 foram tão constantes e automáticas que acabaram por passar despercebidas, como uma revolução silenciosa, que só apresenta seus verdadeiros efeitos após certo período. Por conta disso, se vê muitas empresas ainda sofrendo para entender essa nova era da informação, investindo, muitas vezes, de forma errada na esperança de acompanhar seus concorrentes.


Como já se sabe, o bem mais precioso da atualidade é a informação e, principalmente, o que se faz com ela. Sendo assim, ao se perceber tudo o que mudou dos anos 2000 para cá, a única certeza que se pode ter é que a evolução não acabou. Pelo contrário, ela está apenas começando, e sobreviverão a ela os que conseguirem tomar as melhores decisões a partir dos dados disponíveis a todos.

Como se pôde ver acima, o mundo está em uma constante evolução, e os profissionais precisam acompanha-la para, assim, poderem se destacar no futuro. Se esse é seu desejo, o FTI Summit ’19 é para você. O evento, que como o próprio nome sugere, é focado em Futuro, Tendências e Inovações, discutirá este ano sobre o profissional das décadas 20-30, as habilidades necessárias e sua área de atuação.


O evento ocorrerá no dia 12 de setembro, em Paulínia/SP, e contará com a presença de diversos nomes da área, como Beatriz Bottesi — Marketing Manager do Instagram — José Salibi Neto — fundador do HSM e autor do livro Gestão do Amanhã — entre outros. Para saber mais sobre os palestrantes e realizar sua inscrição, acesse o site do FTI Summit ’19.

© 2023 por Hub Education.

Comunidade de educação continuada.

Siga a gente:

  • White Facebook Icon
  • Branca Ícone LinkedIn
  • White Instagram Icon